Temer diz que PDT pode apoiar a sua candidatura à Câmara

Se o movimento se confirmar, o chamado bloquinho - grupo do PSB, PDT, PCdoB, PMN, PRB- sofrerá revés

REUTERS

05 Janeiro 2009 | 17h22

O PDT pode desembarcar da candidatura do deputado Aldo Rabelo (PCdoB-SP) e apoiar a eleição de Michel Temer (PMDB-SP) à presidência da Câmara, afirmou nesta segunda-feira, 5, o parlamentar peemedebista. Se o movimento se confirmar, o chamado bloquinho -- grupo parlamentar integrado pelos partidos PSB, PDT, PCdoB, PMN, PRB -- sofrerá um sério revés político. Além disso, Temer, que já recebe apoio de partidos governistas e da oposição, seria ainda mais fortalecido na disputa. O bloquinho havia lançado a candidatura de Rebelo. "Eu falei com o Lupi (Carlos Lupi, ministro do Trabalho e presidente licenciado do PDT), e ele sinalizou que está quase certo o apoio", disse Temer a jornalistas. "É muito importante que eles venham conosco. Com isso, formaria o apoio formal de 12 partidos", acrescentou. Temer voltou a negar que a disputa entre o PMDB e o PT pela presidência do Senado poderá atrapalhar sua eleição. Os deputados petistas já confirmaram que votarão no peemedebista. "Espero que toda e qualquer defecção seja a meu favor", acrescentou o deputado, que voltou a Brasília depois das festas de fim de ano, em pleno recesso parlamentar, para retomar sua campanha. "Para vencer as eleições, precisa o apoio institucional dos partidos, como eu fiz, e, ao mesmo tempo, conversar com cada deputado", afirmou. Além de Temer e Rebelo, disputam o cargo os deputados Osmar Serraglio (PMDB-PR) e Ciro Nogueira (PP-PI).

Mais conteúdo sobre:
POLITICATEMER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.