Temer propõe ampliar Bolsa Família em programa entregue a Dilma

O PMDB entregou nesta quarta-feira à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, sua lista de sugestões para o programa de governo.

REUTERS

09 de junho de 2010 | 14h20

O partido de Michel Temer (PMDB-SP), que integrará a vice ao lado de Dilma, quer diluir a imagem negativa que acompanha a legenda há décadas de só se aliar em troca de cargos. Com a aliança, a sigla dará à ex-ministra o maior tempo de TV entre os postulantes ao Planalto.

"Vamos fazer verdadeiramente um presidencialista de coalizão, que não se dá depois da eleição, apenas por ajustamentos políticos, e sim programáticos", disse Temer a jornalistas.

A entrega das sugestões ocorre dois dias após a última trincheira que faltava para sacramentar a aliança nacional.

O PMDB exigia, e obteve, apoio petista à candidatura do senador Hélio Costa ao governo de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país, portanto crucial à eleição de outubro.

As duas legendas oficializarão a chapa neste fim de semana.

No programa --rascunhado a várias mãos, entre as quais as do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, o PMDB propõe ampliar o Bolsa Família.

"Não vejo nenhuma proposta antagônica (com o programa do PT), talvez nuances", afirmou o presidente do PT, José Eduardo Dutra.

"Será um programa de governo convergente com as forças políticas (que integram a coligação de Dilma)", acrescentou. A versão final do plano de governo será apresentada provavelmente em julho.

(Reportagem de Natuza Nery)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMATEMER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.