Tempestade enfrentada pelo Airbus A330 era normal

De acordo com a Méteo Franceo, órgão de meteorologia que auxilia nas pesquisas realizadas pelo Escritório de Investigações e Análises sobre a Aviação Civil (BEA), as imagens de satélite feitas no momento em que o Airbus realizava o voo AF447, na noite do dia 31 de junho, indicam que a tempestade enfrentada pelo A330 não foi mais grave do que o normal.

ANDREI NETTO, Agencia Estado

06 de junho de 2009 | 17h49

As imagens registradas às 23h15 - minuto seguinte ao último contato do Airbus -, mostram que a temperatura no interior da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) era de cerca de -82ºC. Essa temperatura era mais elevada do que o verificado nas piores ZCITs formadas na região equatorial, o que significa que a tempestade não era a mais violenta que as que os voos da rota podem atravessar. "Se tomamos como base as análises de três ou quatro dias seguintes, vemos fenômenos similares e bem mais poderosos", afirmou Alain Ratier, diretor-geral adjunto da Méteo France.

A aeronave da Air France desapareceu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo durante o trajeto Rio de Janeiro-Paris. De acordo com a companhia e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), 58 brasileiros embarcaram na aeronave.

Mais conteúdo sobre:
acidenteaviãoAir FranceVoo 447

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.