Tempo ideal para corrigir acidez do solo

Antecipar a aplicação de calcário e fertilizantes no solo, com vistas à safra de verão, pode ser vantajoso

Fábio Marin, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2009 | 03h38

Chuvas fracas isoladas e frio na maioria das regiões marcaram a semana no Estado de São Paulo. Já a umidade do solo caiu, causando grande variabilidade na disponibilidade hídrica para o desenvolvimento das culturas.

Enquanto Campinas, Guaratinguetá, Iguape, Itapeva, Presidente Prudente e Ribeirão Preto têm armazenamento hídrico acima de 75% da capacidade de máxima de retenção, os municípios de Franca, Garça, São José do Rio Pardo, Sorocaba e Votuporanga registram umidade abaixo de 45%, que causa limitação hídrica às lavouras perenes.

Nas localidades onde houve deficiência hídrica, as pastagens sofrem os efeitos do inverno, o que dificulta a manutenção do gado no pasto. Esse quadro, contudo, não se refletiu nos preços da arroba, que teve leve alta durante a semana.

O nível de umidade do solo, entretanto, favorece o manejo de áreas com vistas à safra de verão. A correção antecipada da acidez do solo e a aplicação precoce de alguns fertilizantes pode melhorar a fertilidade e ganhos de produtividade.

COLHEITAS

Nas regiões canavieiras, apesar da chuva constante e da alta umidade do solo, a colheita segue adiantada em relação ao ano passado. Nos pomares de laranja, a colheita também poderia ter avançado, mas o baixo preço do produto desanima os produtores, que preferem manter os frutos nos pés.

Nos parreirais de Jales, Fernandópolis e Marinópolis, a colheita da uva já começou em algumas propriedades. Nessas localidades, é necessário o uso de irrigação para evitar a deficiência hídrica nas lavouras, mas os produtores devem manejar a água segundo critérios técnicos para evitar danos aos mananciais, desperdício de energia, problemas fitossanitários e aumento no custo de produção.

O clima também é bom para a colheita da cebola em Piedade, Ibiúna, Monte Alto e São João da Boa Vista; do morango em Atibaia, Monte Alegre do Sul e Jarinu; da atemóia em Pilar do Sul e São Miguel Arcanjo; do tomate em Mogi-Guaçu e Sumaré; do café em São José do Rio Pardo, Franca e Garça; da mandioca em Ibirarema, Engenheiro Coelho e Presidente Prudente, e da macadâmia em Dois Córregos.

*Fábio Marin é pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária. Para mais informações sobre tempo e clima, acesse www.agritempo.gov.br  

Mais conteúdo sobre:
Agrícola tempo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.