Temporal alaga ruas e fecha Ponte Rio-Niterói

Em algumas regiões choveu um terço do esperado para todo o mês de novembro

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2008 | 19h36

Um forte temporal atingiu o Rio na tarde desta segunda-feira, 17, deixou vias alagadas, parou o trânsito, provocou a interdição da Ponte Rio-Niterói e o fechamento do Aeroporto Santos Dumont. Houve registro de ventos de até 70 quilômetros/hora em Copacabana. De acordo com o Clima Tempo, a tempestade foi provocada pela passagem de frente fria pelo sudeste.   "O sistema favoreceu a formação de nuvens carregadas, provocando chuvas em São Paulo, pela manhã, que foram seguindo pelo Médio Paraíba e Costa Verde e entraram pela zona oeste fluminense à tarde", explicou o meteorologista André Madeira. A previsão é de tempo fechado até sexta-feira.   Choveu forte entre 16 horas e 18 horas. A estação meteorológica do Forte de Copacabana registrou 58,2 milímetros de chuva. Em Jacarepaguá, na zona oeste, choveu 52,8 milímetros. Isso corresponde, em média, a um terço do que é previsto para todo o mês de novembro.   O Aeroporto Santos Dumont fechou para pousos e decolagens às 17 horas. Um vôo, vindo de São Paulo, teve de aterrissar no Aeroporto Internacional Tom Jobim. Às 18h15, o Santos Dumont reabriu para pousos por instrumentos.   A Ponte Rio-Niterói teve de ser interditada às 17h55 e o tráfego ficou interrompido por 13 minutos, por conta da chuva forte e pouca visibilidade. Houve engarrafamentos nos acessos à ponte. O trânsito ficou lento depois da liberação das pistas. Houve registro de alagamentos em todas as regiões da cidade - nas zonas sul, norte e oeste e no Centro.   Câmara Municipal   A forte chuva que atingiu a cidade do Rio não poupou nem a Câmara Municipal, localizada na Praça Floriano, no centro da cidade. O antigo telhado da casa parlamentar não conseguiu conter a água, que inundou o salão de entrada da Câmara após descer pelas escadarias. A água entrou também pelas rachaduras nos vitrais. Nas galerias do plenário, goteiras fizeram com que a pintura da parede inchasse.   A água atingiu o vistoso mármore do saguão José do Patrocínio, o enorme painel "Fundação da Cidade do Rio" (1923), do pintor Eliseu Visconti, e o busto de Pedro Ernesto. O painel, que já havia sido restaurado, terá de passar por novos cuidados.   Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, na véspera, a equipe de prevenção a incêndios havia feito uma vistoria nas calhas e telhados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.