Temporão comemora aprovação de emenda para saúde

Ministro esteve presente na aprovação de projeto que prevê mais R$ 24 bi para a área em quatro anos

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

31 de outubro de 2007 | 20h44

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta quarta-feira, 31, que a aprovação, na Câmara dos Deputados, da regulamentação da emenda que prevê mais recursos para Saúde foi um passo significativo para melhorar a sustentabilidade econômica e financeira do setor. "O governo está dando um passo importante e seguro. A gente não pode comprometer a política macroeconômica nem o controle das finanças públicas. Esse é um avanço sustentado", afirmou o ministro ao deixar a Câmara, onde acompanhou a votação.   Veja também:      Entenda a cobrança da CPMF  Câmara aprova mais R$ 24 bi para saúde com bônus da CPMF Governo apresenta proposta 'concreta' ao PSDB sobre CPMF Veja as 9 propostas do governo ao PSDB para prorrogar a CPMF Entenda a Emenda 29  Veja os 5 pontos apresentados pelo PSDB para negociar a CPMF     A regulamentação aprovada pela Câmara vai destinar mais R$ 24 bilhões de recursos para a Saúde ao longo dos próximos quatro anos. Foram 291 votos a favor, 111 contra e uma abstenção. O aumento de verbas para o setor é uma das imposições dos senadores de oposição para aprovar a emenda à Constituição que prorroga a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) até 31 de dezembro de 2011.   Hoje, da alíquota de 0,38% da contribuição, 0,20% vai para esse setor. Com o projeto aprovado ,  esse percentual subirá para 0,24% no próximo ano, 0,25% em 2009, 0,26% em 2010 e, por fim, 0,28% em 2011.    O acordo fechado entre os ministros da Fazenda, Guido Mantega, da Saúde, José Temporão, com os líderes aliados do presidente Lula, com a participação do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, prevê um acréscimo de R$ 4 bilhões ao orçamento de R$ 48 bilhões previstos para o próximo ano. Em 2009, serão mais R$ 5 bilhões para o setor, em 2010, mais R$ 6 bilhões e, em 2011, mais R$ 8 bilhões.   Com o projeto, que ainda precisa ser votado pelo Senado, o Orçamento da Saúde em 2011 ficará em torno dos R$ 72 bilhões, segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Tudo o que sabemos sobre:
José Gomes Temporão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.