Terreno não usado na JMJ será bairro popular, diz Paes

'Será um legado da visita do papa', disse o prefeito do Rio

AE, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 11h41

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, informou neste domingo pelo Twitter que o terreno onde ficaria o Campus Fidei, em Guaratiba, na zona oeste, sofreu alagamentos e, por isso, não foi utilizado na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), será transformado num "bairro popular." O bairro vai se chamar "Campo da Fé do Papa Francisco". Paes afirmou que conversou com o papa Francisco e com o arcebispo do Rio, d. Orani Tempesta, que fez o anúncio durante a missa de envio, sobre o assunto na noite passada.

"O fato é que a Igreja investiu muitos recursos ali e isso não poderia ser desperdiçado. Só os donos da área se beneficiariam. A Prefeitura vai desapropriar a área pela via judicial e vamos fazer com o Instituto dos Arquitetos do Brasil um concurso público para ali fazer um bairro popular para os mais pobres", tuitou.

"Esse será um grande legado da visita desse grande líder a nossa cidade. Foi isso que d. Orani acabou de anunciar agora. O papa ficou muito feliz. Além de tudo, é uma região da cidade em que muitas pessoas vivem em situação inaceitável. Já fizemos ali o BRT Transoeste e o bairro terá toda infra", completou o prefeito.

Tudo o que sabemos sobre:
JMJpapaterrenobairroPaes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.