Reprodução
Reprodução

Vendas do Tesouro Direto somam R$ 1,1 bi em outubro

Destaque do mês passado foi a venda de um total de R$ 201,9 milhões do Tesouro Prefixado; em outubro, 17.217 novos participantes se cadastraram no Tesouro Direto

Bernardo Caram, O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2015 | 19h33

BRASÍLIA - O programa Tesouro Direto registrou vendas líquidas de R$ 845,5 milhões no mês passado. O balanço, divulgado pelo Tesouro Nacional, mostra que o total de vendas em títulos foi de R$ 1,123 bilhão. Os resgates totalizaram R$ 278,2 milhões, sendo R$ 277,5 milhões relativos às recompras e R$ 670 mil referente a vencimentos.

De acordo com a nota, o destaque do mês passado foi a venda de um total de R$ 201,9 milhões do Tesouro Prefixado (LTN). O resultado é o segundo mais alto desde o início do programa, em 2002. O número é fruto de uma venda bruta de R$ 261,5 milhões e de um resgate de R$ 59,64 milhões.

Em outubro, 17.217 novos participantes se cadastraram no Tesouro Direto. O número total de investidores cadastrados ao fim do mês atingiu 587.275, o que representa aumento de 33,2% nos últimos doze meses. O número de investidores ativos chegou a 210.474, uma variação de 72,0% nos últimos doze meses.

Segundo o Tesouro, foram registradas 95.715 operações de vendas de títulos a investidores ao longo do mês. O número de vendas até R$ 5 mil correspondeu a 68,5% do total, o que, segundo o Tesouro, demonstra a utilização do programa por pequenos investidores. O valor médio por operação foi de R$ 11.739,73.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados ao IPCA (Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B)), cuja participação nas vendas atingiu 46,3%. Os títulos prefixados - Tesouro Prefixado (LTN) e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F) - corresponderam a 25,3% do total e os indexados à taxa Selic - Tesouro Selic (LFT) -, 28,4%.

Longo prazo. Em relação ao prazo de emissão, 12,8% das vendas no Tesouro Direto no mês em outubro corresponderam a títulos com vencimentos acima de 10 anos. As vendas de títulos com prazo entre 5 e 10 anos representaram 45,8% e as com prazo entre 1 e 5 anos, 41,4% do total.

O estoque, por sua vez, alcançou um montante de R$ 22,94 bilhões, registrando aumento de 4,85% em relação ao mês anterior (R$ 21,88 bilhões), e aumento de 57,73% sobre outubro de 2014 (R$ 14,55 bilhões). Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 59,7%. Na sequência, aparecem os títulos prefixados, com participação de 21,0% e, por fim, os títulos indexados à taxa Selic, com 19,3%.

Em relação à composição do estoque por prazo, tem-se que 2,9% dos títulos vencem em até 1 ano. A maior parte, 53,8%, é composta por títulos com vencimento entre 1 e 5 anos. Os títulos com prazo entre 5 e 10 anos, por sua vez, correspondem a 27,3% e os com vencimento acima de 10 anos, a 16%.

Mais conteúdo sobre:
investimentorenda fixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.