Testemunha de assassinato receberá proteção em MT

Uma mulher que presenciou o assassinato do estudante de economia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Toni Bernardo Silva, de 28 anos, receberá proteção policial. A testemunha viu a vítima ser espancada em Cuiabá, na madrugada do dia 23 de setembro. Ela negou fazer parte do programa de proteção à vítima do governo federal para não sair do Estado. Por isso, ela receberá a proteção de policiais civis. A medida é por tempo indeterminado. Toni era de Guiné-Bissau, África, e foi morto em um restaurante da capital. A testemunha procurou o presidente da Comissão no dia 28 para relatar o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.