Testes rápidos para sífilis salvam vidas em regiões pobres

Testes rápidos para sífilis são eficazes na diminuição dos casos de sífilis congênita, especialmente nas regiões mais pobres do planeta. É o que mostra um estudo realizado em seis países, entre eles o Brasil, publicado ontem na PLoS Medicine.

O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2012 | 03h04

No País, a pesquisa já deu frutos. Restrita a comunidades indígenas da Amazônia, ela inspirou uma decisão de âmbito nacional: a incorporação dos testes rápidos de sífilis e HIV ao pré-natal do Sistema Único de Saúde (SUS), no fim de 2011. Todos os anos, a sífilis é responsável por 500 mil abortos espontâneos e partos de natimortos no mundo. / ALEXANDRE GONÇALVES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.