Texto da ONU levanta preocupação sobre sanções à Coreia do Norte

Um relatório de comitê da Organização das Nações Unidas que monitora o cumprimento de sanções impostas contra a Coreia do Norte demonstra que mais de 100 países não estão fazendo o suficiente para implementar as medidas de punição.

LOUIS CHARBONNEAU, REUTERS

12 de junho de 2010 | 15h02

O último relatório enviado ao Conselho de Segurança da ONU pelo Comitê de Especialistas em Coreia do Norte, ao qual a Reuters teve acesso, afirma que 111 dos 192 países-membros da ONU --a maioria, países em desenvolvimento-- ainda não enviaram informações sobre a implementação de duas resoluções do Conselho sobre a aplicação de sanções contra a Coreia do Norte.

As resoluções, aprovadas em 2006 e 2009 em resposta a dois testes nucleares feitos por Pyongyang, restringem acordos de armas com o país, além de banir o comércio de tecnologias que podem ser usadas na fabricação de armas nucleares e outras armas de destruição em massa. As sanções também determinam a implementação de proibições de viagem e o congelamento de ativos e proibição à importação de artigos de luxo pela Coreia do Norte.

Cerca de 30 países enviaram seus relatório de implementação da primeira resolução, número 1718, mas não para a segunda, resolução número 1874.

"Basicamente, o que isso indica é que muito ainda precisa ser feito para implementar sanções contra a Coreia do Norte", disse um diplomata do Conselho de Segurança à Reuters, pedindo para não ser identificado.

Outro diplomata concorda. "Muitas vezes, países em desenvolvimento simplesmente não têm recursos para implementar as sanções corretamente", disse a fonte, acrescentando que isso cria possíveis fraquezas e aberturas para que países como Coreia do Norte, Irã e outros driblem sanções da ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
COREIAONUSANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.