Tia de Isabella nega ter dito frase que incriminaria irmão

O TJ-SP informou que o habeas-corpus do pai e madrasta deve ser definido nesta sexta-feira

AE, Agencia Estado

10 de abril de 2008 | 19h56

A irmã de Alexandre Nardoni, suspeito de envolvimento na morte da filha, Isabella, negou em entrevista a emissoras de televisão ter mencionado uma frase que incriminaria o irmão ao receber um telefonema num bar na noite do crime. Cristiane Nardoni teria dito, segundo testemunhas que estavam no local: "Meu irmão fez c...", e deixado o local às pressas.  VEJA TAMBÉMA tragédia, as dúvidas e contradições do casoEscute por que crimes assim comovem a sociedadeTudo o que já foi publicado sobre o caso Isabella   "Essa testemunha é mentirosa porque em momento nenhum eu disse isso, até porque eu não sabia o que estava acontecendo. Em segundo ponto, eu não atendi meu celular na frente de ninguém", afirmou.Ela disse que na noite do dia 29, logo após Isabella ser encontrada no jardim do prédio onde o pai mora com a madrasta Anna Carolina Jatobá, recebeu uma ligação do pai avisando sobre o que havia acontecido mas, com o barulho do bar, que tinha "música ao vivo", desligou o aparelho e decidiu ligar para o pai de um banheiro.  "Por isso eu digo: ninguém me ouviu falar. E essa afirmação é mentirosa, porque em momento nenhum eu disse isso." O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) informou nesta quinta-feira, 10, que o julgamento do habeas-corpus para o casal Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Trotta Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella, deve sair só nesta sexta-feira, 11. Segundo a assessoria de imprensa do TJ, há 90% de chances de o recurso não ser analisado nesta quinta em virtude de o desembargador Caio Eduardo Canguçu de Almeida, que analisa o pedido, não se encontrar em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.