Tipo de sangue é ligado a risco de doença cardíaca

Os portadores de sangue tipo O têm risco um pouco menor de ter doenças cardíacas que os de tipo A, B ou AB. Lu Qi, da Universidade Harvard, analisou o risco dessas doenças em dois estudos ao longo de 20 anos - um deles, envolvendo 62.073 mulheres, iniciado em 1976; e outro, com 27.428 homens, iniciado em 1986.

LOS ANGELES, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2012 | 03h02

Adaptando fatores de risco como dieta, grau de diabete, gênero e raça, Qi e equipe concluíram que os participantes com sangue AB corriam o maior risco de doenças cardíacas - 20% maior que o das pessoas com sangue O. A equipe calculou que a incidência de doenças foi de 125 casos por 100 mil pessoas/ano. O tipo B foi o segundo, com 11% a mais de risco; o tipo A, o terceiro, com 8% a mais.

A tendência se manteve quando comparados os resultados com os de vários outros estudos que levavam em conta os mesmos fatores. Em sete estudos, o aumento do risco para as pessoas que não eram tipo O foi 11% superior. O fator Rh não apresentou correlação com nenhuma diferença no risco de doenças cardíacas.

A análise não visava a identificar os motivos pelos quais o tipo sanguíneo influenciaria o risco dessas doenças. Mas os pesquisadores observaram que os indivíduos que não tinham tipo O apresentavam níveis mais elevados de duas proteínas envolvidas na coagulação e na aterosclerose - e as pessoas com sangue tipo A, particularmente, apresentavam níveis mais altos de colesterol total e colesterol tipo LDL (ruim). / L.A. TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.