Tire sua gravata para ajudar o planeta, diz Itália

O apelo é para que os patrões deixem os funcionários se vestirem à vontade, poupar o ar condicionado

REUTERS

17 de julho de 2007 | 12h08

Quer ajudar a combater o aquecimentoglobal? Tire sua gravata, afirmou o Ministério da Saúde daItália. O apelo é para que os patrões deixem seus funcionários sevestirem casualmente no trabalho durante o verão para que osaparelhos de ar condicionado possam ser desligados. "Tirar sua gravata imediatamente diminui a temperatura docorpo em cerca de 2 a 3 graus Celsius", afirmou o ministério emum comunicado. "Permitindo um uso mais sensato do arcondicionado que resulte numa economia de eletricidade eproteja o meio ambiente". O ministério fez um pedido para que todos os escritóriospúblicos e privados permitam a seus empregados não usar gravatadurante as ondas de calor como a que elevou as temperaturaspara níveis parecidos com os registrados na África em muitaspartes da Itália nesta semana. O pedido ecoa uma iniciativa similar vinda do maior grupode petróleo da Itália, ENI, que disse a seus funcionários nocomeço deste mês que eles não precisam usar gravata notrabalho. Os fabricantes de gravata, entretanto, perderam a calma. "A Itália confirma que é um país estranho", disse Flavio Cimaem uma carta ao jornal econômico Il Sole 24 Ore, sob amanchete: "Eu, fabricante de gravatas, sou responsável peloaquecimento global". "Nós agora podemos continuar felizes com nosso estilo devida, usando carros, consumindo combustível, aquecendo eesfriando nossas casas durante o lazer. Sob um condição: nósnão devemos usar gravata enquanto fazemos isso", escreveu ele. "Eu deveria escutar meus amigos e virar um explorador depetróleo no lugar". A Itália é um dos países da União Européia que mais polui eestá entre os países da UE que devem exceder suas metas deemissão de gases causadores do efeito estufa.

Tudo o que sabemos sobre:
MUNDOITALIAGRAVATAPLANETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.