Tiros atingem trem com ministros no Rio de Janeiro

Um trem em que viajavam osministros das Cidades, Márcio Fortes, e da Secretaria Especialde Portos, Pedro Brito, foi alvo de disparos de supostostraficantes, nesta segunda-feira, na zona norte do Rio deJaneiro, depois de a comitiva ter sido alertada por policias aevitar o local. O incidente ocorreu durante viagem inaugural de um trechoferroviário de cargas revitalizado, que faz percurso até oPorto do Rio. O governador do Rio, Sérgio Cabral, estevepresente à solenidade de inauguração, mas deixou o local dehelicóptero e não participou da viagem de trem. "Quando (o trem) passou pelo Jacarezinho, tanto na idaquanto na volta, houve um tiroteio descontrolado em cima dagente", disse à Reuters por telefone um assessor do governo doEstado do Rio, ainda dentro do trem, minutos após os disparosterem ocorrido, nesta manhã. Houve tiros duas vezes na passagem do trem pela favela doJacarezinho (zona norte), e as autoridades se jogaram no chãopara se proteger, confirmou a polícia. "Até os ministros se jogaram no chão. Os tiros foram todosna lataria, não atingiu ninguém, mas foi uma situaçãoapavorante", acrescentou o assessor, que descartou apossibilidade se tratar de balas perdidas. Os dois ministros estavam ao lado do secretário estadual deTransportes do Rio, Julio Lopes, no vagão que fazia a viageminaugural do ramal ferroviário de cargas até o Porto do Rio. O secretário de Segurança Pública do Estado, José MarianoBeltrame, afirmou após o incidente que a comitiva dasautoridades tinha sido recomendada pela polícia a não passarpela área do tiroteio devido ao risco. "Houve uma recomendação à comitiva. Como policiais nóstemos que recomendar as devidas cautelas para que essasautoridades transitem em determinadas áreas", disse Beltrame àjornalistas durante conferência de segurança pública realizadaesta semana no Rio. "É um absurdo o Estado não poder oferecer o próprioserviço. Não é cabível que um ministro de Estado não possalevar o serviço até aquela comunidade porque ele não podepassar ali que vai ser rechaçado a tiros", acrescentou. Além das autoridades, estavam no trem deputados,jornalistas e funcionários da empresa MRS, responsável pelaoperação do trecho ferroviário inaugurado. O ministro Márcio Fortes minimizou o incidente e lembrou osinvestimentos feitos pelo governo federal no Rio de Janeiro. "Eu entro nas comunidades, subo as favelas... foi ummomento episódico que aconteceu", disse o ministro ajornalistas após desembarcar. "Por isso, estamos fazendo um investimento maciço no Riopara a melhoria da qualidade de vida das favelas ... de modoque se reverta esse ambiente considerado perigoso. Tem que serum bairro como outro qualquer", acrescentou. (Reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier)

PEDRO FONSECA, REUTERS

10 de setembro de 2007 | 14h06

Tudo o que sabemos sobre:
VIOLENCIARJMINISTROSTIROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.