Tocha olímpica percorre percurso menor na Indonésia

Chama chega à Jacarta sob forte esquema de segurança para evitar protestos.

Marina Wentzel, BBC

22 de abril de 2008 | 10h15

A tocha Olímpica chegou à Indonésia nesta terça-feira para cumprir a 14ª etapa da jornada que faz ao redor do mundo antes de aportar em agosto na sede dos jogos, Pequim.A chama desfilaria ao redor do estádio Bung Karno de Jacarta, percorrendo um trajeto de cerca de sete quilômetros. O percurso é bem menor que os vinte quilômetros originalmente planejados.O encurtamento da rota da tocha foi novamente motivado por questões de segurança, para evitar que protestos contra e a favor da China prejudicassem a celebração olímpica.Cerca de 2,5 mil policiais e 5 mil pessoas deverão acompanhar de perto o evento. Os civis que assistirão o desfile precisaram obter credenciais de identificação e tiveram seus antecedentes verificados. ProtestosA polícia dispersou pequenos protestos pró-independência tibetana e prendeu alguns manifestantes nos arredores do estádio.Os ativistas conseguiram erguer cartazes com os dizeres "Sem Direitos Humanos, Sem Olimpíadas".Autoridades da Indonésia pediram à população de Jacarta que não misture política com esporte, mas disseram que existe "liberdade de expressão" contanto que os cidadãos se comportem de acordo com "os conformes e as regras" do país.Entretanto, organizações internacionais independentes reclamaram da situação e afirmaram que ativistas foram presos apesar de terem obtido permissão do governo local para protestar.RastroPor onde tem passado, a tocha Olímpica deixa um rastro de protestos, confrontos e polêmica.Atenas, Londres, Paris, São Francisco e Buenos Aires são apenas algumas das cidades que testemunharam manifestações contra a e a favor da China.De um lado ativistas pró-direitos humanos e apoiadores da independência do Tibete alegam que os Jogos Olímpicos não podem ser dissociados do contexto político e exigem que a China permita maior liberdade de expressão. Do outro lado, manifestantes a favor da China criticam a posição do Ocidente de apoiar o movimento pró-independência do Tibete e acusam a imprensa estrangeira de fazer uma cobertura tendenciosa da situação.PazMas, apesar dos protestos, a passagem da chama por algumas cidades ocorreu em paz.Kuala Lumpur, na Malásia, Dar es Salaam, na Tanzânia, e Bangcoc, na Tailândia, não registraram maiores confrontos durante o desfile da chama Olímpica.Na segunda-feira, na capital da Malásia, a tocha conseguiu percorrer uma rota de 16 quilômetros sem grandes problemas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.