Tomate até na cocada

COCACA - Cremosa e sabor tomate, uma variação de Paty do AlferesNADA SE PERDE - As sementes de tomate são usadas para fazer licor A pequena Paty do Alferes é mais conhecida por seus tomates do que por seu filho mais ilustre: Joaquim Osório Duque Estrada, autor do Hino Nacional. Veja também:ESPECIAL: É da roçaVocê não pode perder. Mesmo!A guerra do bolinhoO pastel que vira sozinhoO arroz ficou vermelho!O que é que gosta de voar e é caviar?Amargo de doer, mas tem quem coma cruEm Bananal tem sempre trutaAs fadas da boca do tachoCaipira da gemaComida mineira é paulista. E também caipiraE não é à toa. Tomate ali vira ingrediente para os mais variados produtos, entre eles geleia, licor, bombom e até uma cocada – a prova está na foto à esquerda. Sutil, cremosa e sem excesso de açúcar, a cocada de tomate é uma especialidade de Dircy Tamer, da loja Tomate Feliz (24 2483-0957). Dircy só perde a posição de principal doceira da cidade uma vez por ano, no dia de Corpus Christi, durante o Festival do Tomate, quando os moradores de Paty se mobilizam para fazer doces e salgados para um grande concurso à base da fruta.Dircy e a filha Tereza começaram fazendo geleia e tomates em calda. E, de repente, tinham a estante cheia de produtos. Com um truque aqui ou ali, vão tirando proveito da fruta. "Depois que você tira a pele não pode deixar cozinhar muito", ensina Tereza. Outra dica é mergulhar o tomate na água fria assim que retirá-lo da água fervente, para brecar o cozimento.O carro-chefe da loja é o tomate recheado com leite condensado cozido, muito requisitado nos fins de semana.Também é famoso o bombom de tomate, vencedor de uma edição do Festival do Tomate. Dircy aprendeu a fazer compotas quando trabalhou no Hotel de Quindins, em Paty. O mesmo hotel serviu de escola para outra doceira famosa da região, a Carmem, de Miguel Pereira, mãe de Claudete, e fundadora da hoje famosa Doces Carmem (clique para ver).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.