Torcedores querem técnico da seleção chilena como presidente

O retrato de Marcelo Bielsa olhando para o horizonte com a faixa presidencial no peito e a bandeira tremulante do Chile ao fundo é a imagem que os seguidores do técnico argentino carregam para proclamá-lo simbolicamente candidato à Presidência do país.

CLAUDIO CERDA, REUTERS

19 Agosto 2009 | 17h24

Bielsa, que está a um passo de classificar a seleção do país para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, causou uma verdadeira revolução no meio futebolístico do país desde sua chegada ao Chile, em agosto de 2007.

A proclamação, impossível de se concretizar porque Bielsa é estrangeiro, convoca os admiradores do técnico a expressar seu apoio através da Internet e por meio do chamado Partido da Revolução Bielsista.

"Entre os usuários que visitam a página, começou a aparecer, meio como piada e meio de forma séria, a pergunta sobre por que não se faz uma revolução na política como a que Bielsa está fazendo no futebol", disse à Reuters Manuel Ojeda, um dos pais da ideia.

"Nos perguntamos como extrapolar esses valores (de Bielsa) a outras áreas da sociedade chilena. O que aconteceria se em nossa vida cotidiana fôssemos todos bielsistas", acrescentou Ojeda, estudante de sociologia, sobre a candidatura simbólica para a eleição presidencial de dezembro.

O reconhecimento ao trabalho do técnico argentino fez até com que alguns dos candidatos reais confessassem incorporar em seu trabalho o "estilo" disciplinado de Bielsa.

A página www.charlatecnica.cl convida a votar em Bielsa, e uma declaração de princípios destaca valores do ex-técnico da seleção argentina como o profissionalismo, a humildade e a paixão com que trabalha.

Segundo Ojeda, já são mais de 2 mil seguidores que manifestaram respaldo à iniciativa.

O Chile de Bielsa tem a melhor campanha do segundo turno das Eliminatórias para a Copa, com 13 pontos em 15 disputados. O Brasil lidera a classificação geral, com 27 pontos, seguido pelo Chile com 26 --melhor desempenho da história até aqui, no atual formato--, Paraguai com 24 e Argentina com 22 pontos.

Na campanha pela seleção vermelha, se destacam as vitórias contra a Argentina, a primeira em uma partida oficial, contra o Peru em Lima, a primeira em 24 anos, e contra o Paraguai em Assunção, a primeira em 28 anos.

(Reportagem de Claudio Cerda)

Mais conteúdo sobre:
CHILEFUTEBOLBIELSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.