Trabalhadores portuários recuam e aceitam contratações sem Ogmo

Representantes dos trabalhadores portuários recuaram em suas reivindicações na discussão da Medida Provisória 595, que altera o modelo de concessões de terminais, e aceitaram que as contratações não sejam obrigatoriamente feitas pelo Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO).

Reuters

21 de março de 2013 | 14h40

A decisão foi anunciada por sindicalistas nesta quinta-feira, ao final de uma reunião com integrantes do governo, em Brasília.

Os sindicalistas disseram que não ocorrerá paralisação de um dia na semana que vem nos portos, como havia sido proposto inicialmente em caso de um impasse nas discussões.

(Reportagem de Ana Flor; Texto de Gustavo Bonato)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSPORTOSOGMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.