Translado de corpo pela FAB será investigado pelo MPF

O traslado do corpo de Mariana Noleto em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) será investigado por processo administrativo do Ministério Público Federal na Bahia (MPF). A informação foi divulgada hoje pelo órgão. Marina e mais seis pessoas morreram em um acidente de helicóptero na última sexta-feira, 17, no litoral baiano. Ela namorava Marco Antonio Cabral, filho do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

CAROLINA SPILLARI, Agência Estado

22 Junho 2011 | 17h19

De acordo com o MPF na Bahia, a vítima não exercia cargo público. Além disso, existem voos comerciais de Porto Seguro para o Rio de Janeiro. O custo financeiro e o fundamento normativo para a missão ter sido paga pelos cofres públicos e não pela família da vítima foram as questões enviadas pelo MPF ao Segundo Comando Aéreo Regional. Outra questão do MPF é sobre quem teria ordenado o traslado do corpo de Mariana.

As investigações serão estendidas a todos os corpos do acidente transportados pelo FAB. Na terça-feira, 21, a FAB fez o transporte dos corpos de Jordana Kfuri Cavendish e do empresário Marcelo Mattoso Almeida para o Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre:
acidente BA helicóptero translado corpo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.