Transpetro espera receber 4 navios neste ano--presidente

A Transpetro espera receber até o final deste ano quatro navios encomendados no âmbito do programa de renovação da frota da Petrobras, disse nesta sexta-feira o presidente da subsidiária da estatal, Sérgio Machado.

REUTERS

04 Maio 2012 | 18h01

Como parte do programa que envolve a encomenda de 49 embarcações com investimentos de pelo menos 10 bilhões de reais, a Petrobras recebeu no ano passado navio de produtos Celso Furtado, construído pelo estaleiro Mauá. O cronograma oficial prevê a entrega de todas as embarcações até 2016.

A companhia espera que o petroleiro João Cândido, tipo Suezmax, de grande porte, seja entregue pelo estaleiro Atlântico Sul (EAS) no próximo dia 25.

O segundo navio de produto, Sérgio Burque de Holanda, deverá ser entregue pelo Mauá em junho e outros dois - um dos quais poderá ser de grande porte - até dezembro, de acordo com Machado.

Para julho, a estatal aguarda o lançamento de outro navio de grande porte, o Zumbi dos Palmares.

O João Cândido, encomendado ao EAS, levou mais tempo que o previsto para ficar pronto após seu lançamento em maio de 2010, o que despertou críticos da política de conteúdo nacional do governo brasileiro.

"Este navio vai ser entregue a partir do dia 25 e todos que achavam que não ía navegar... estão convidados... Reconheço que houve erro ... foi um aprendizado, mas saímos da inércia e agora vamos buscar mais competitividade", afirmou Machado, ao participar de palestra em evento no Rio.

O estaleiro EAS enfrentou problemas entre os sócios que culminaram com saída de um deles, a coreana Samsung. Camargo Correa e Queiroz Galvão agora buscam um novo sócio com conhecimento tecnológico para substituir o grupo coreano - o que aliás é uma exigência da Petrobras em contrato.

"Nosso problema hoje está em gestão, não em chão de fábrica", disse o presidente da Transpetro.

O EAS venceu concorrência para construir 22 navios da Petrobras, num total de 3,1 bilhões de dólares. Além disso, a Petrobras, via Sete Brasil, contratou sete sondas de perfuração ao mesmo estaleiro instalado em Pernambuco, em outra encomenda avaliada em 4,6 bilhões de dólares.

O programa de renovação da frota da Petrobras e as encomendas bilionárias de plataformas de petróleo à indústria nacional, feitas a partir do governo Lula, revitalizaram o setor, que havia sido desmontado na década de 80 perdendo espaço para fabricantes mais fortes como a Coreia.

Além destes navios contratados ao EAS, e os de produtos ao Mauá, a Transpetro encomendou três navios tipo bunkers ao estaleiro Superpesa, no Rio, oito navios gaseiros ao STX Promar, e está em fase final de contratação de oito embarções de produto ao grupo Eisa.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi)

Mais conteúdo sobre:
PETROBRAS NAVIOS TRANSPETRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.