Transportes caem, alimentos sobem menos e aliviam IPC-S

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) continuou desacelerando no início de junho, em meio à alta mais branda de grupos como alimentação e à queda dos custos de transportes.

REUTERS

08 Junho 2011 | 08h24

O indicador subiu 0,36 por cento na primeira prévia de junho, ante alta de 0,51 por cento no mês de maio, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira.

"Esta foi a menor taxa desde a segunda semana de setembro de 2010", disse a FGV em nota.

Os custos do grupo Alimentação avançaram 0,25 por cento nesta leitura, contra 0,47 por cento na anterior. Os de Habitação arrefeceram a alta de 0,75 para 0,83 por cento. Os de Vestuário subiram 0,58 por cento agora, frente a 0,71 por cento antes.

Entre os alimentos, o destaque foi o item Hortaliças e legumes, que diminuiu a alta de 3,08 para 1,92 por cento.

Os preços de Transportes recuaram 0,48 por cento na abertura do mês, após a variação positiva de 0,01 por cento em maio, refletindo o recuo dos combustíveis.

As principais quedas individuais de preços foram de álcool combustível, batata-inglesa, laranja-pera, gasolina e cenoura. As maiores altas foram de tomate, tarifa de água e esgoto, aluguel residencial, tarifa de ônibus urbano e tarifa de energia elétrica.

A primeira prévia do mês mediu os preços de 8 de maio a 7 de junho.

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Mais conteúdo sobre:
INFLACAO IPCS ATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.