Trecho Norte do Rodoanel deve ser concluído em 3 anos

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje que a expectativa do seu governo é que as obras do trecho Norte do Rodoanel comecem em novembro deste ano e sejam concluídas em um prazo de 36 meses. "Se tudo correr bem, já em novembro iniciamos as obras", disse o governador, ao chegar para a cerimônia de premiação do Destaque Agência Estado Empresas 2011, relativo ao ranking de 2010, elaborado em parceria com a Economática.

ANNE WARTH, Agência Estado

28 Junho 2011 | 20h35

De acordo com ele, a concessão hoje pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema)da licença ambiental prévia (LAP) para a obra permitirá que sejam construídos simultaneamente os trechos Norte e Leste do Rodoanel, cujas obras começam em setembro e serão inteiramente custeadas pela concessionária.

Ainda de acordo com Alckmin, o valor das obras do trecho Norte do Rodoanel será definido nos próximos 30 dias. "Ainda faltam valores das desapropriações e as últimas definições, mas isso deve levar 30 dias no máximo", disse.

Alckmin também defendeu a manutenção dos contratos de reajuste dos pedágios neste ano com base no IGP-M. "Conseguimos, sem ir para a Justiça, sem romper contratos, numa negociação dura, que a partir de 2012 o reajuste seja feito pelo IPCA", afirmou. Ele ressaltou que as seis mais recentes concessões do governo estadual já foram fechadas tendo com critério de reajuste o IPCA e que apenas as 12 mais antigas, concedidas na década de 90, permanecem com o IGP-M neste ano.

O governador destacou ainda que, no segundo semestre, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) terminará a análise de equilíbrio econômico e financeiro dos contratos das concessões. Segundo ele, a partir desse trabalho, será possível avaliar a possibilidade de reduzir as tarifas de pedágio atuais. Questionado, Alckmin evitou responder se as tarifas atuais são caras. "Claro que se pudermos reduzir é importante que se consiga. Essa é a nossa luta".

Mais conteúdo sobre:
AE prêmio Alckmin rodoanel

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.