Treinador australiano engorda 40 kg para 'entender' obesos

Professor em uma academia de Melbourne, Paul James diz que quer se sentir como seus alunos

Giovana Vitola, BBC

26 de fevereiro de 2009 | 07h15

Um ex-modelo e treinador de academia de Melbourne, na Austrália, está fazendo uma dieta especial para tentar ganhar 40 kg e entender melhor seus alunos obesos.     Foto: Divulgação   Paul James, o "PJ", de 32 anos, diz que quer sentir "na pele" como seus clientes com excesso de peso se sentem e entender por que eles têm dificuldade em perder os quilos extras. Apenas no café da manhã, PJ ingere dez ovos mexidos com bacon e 3 litros de leite achocolatado. "Estou comendo de tudo, e nada é saudável", afirmou o treinador à BBC Brasil. "Mas vou ao médico a cada duas semanas verificar minha saúde". A iniciativa, no entanto, está sendo criticada por especialistas. Boyd Swinburn, professor da Escola de Ciências da Nutrição e Atividade Física da Universidade de Deakin, disse que PJ está arriscando sua saúde, principalmente o fígado e o coração. "Porém, quando ele começar a perder peso, vai conseguir muito mais rapidamente do que os alunos, principalmente porque a maioria deles é mulher, e os homens tendem a emagrecer mais facilmente", explicou Swinburn, em entrevista à BBC Brasil. PJ disse que sabe dos riscos que corre, mas não abre mão da experiência. "Quero chegar aos 120 kg até março", disse. Ele costumava pesar 80 kg. Mas com a nova dieta, que começou no início do ano, ganhou mais 26 kg. A maioria dos quilos extras adquiridos se concentra na região do abdômen. Paul quer manter o peso de 120 kg até junho, e só então começar a tentar emagrecer para recuperar o peso anterior. O treinador está filmando cada passo da dieta para transformar a experiência em um documentário. "Eu quero mostrar que qualquer um pode emagrecer, não importa qual seja o seu peso", disse. Após voltar ao peso normal, James pretende voltar a atuar como modelo, mas sem abandonar a vida de treinador. "Meus alunos me apóiam, mas todo mundo me chama de louco. Não me importo. Se conseguir ajudar apenas uma pessoa, o que eu fiz já valeu a pena."       BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.