Três calouros são internados em coma alcoólico após trote

Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR) abriu sindicância e diz que punirá os envolvidos

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

Três calouros da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), a cerca de 120 quilômetros de Curitiba, foram internados ontem - primeiro dia de aula na instituição - em coma alcoólico após participarem de trote.

Os três estudantes tiveram parte dos cabelos cortados e as unhas pintadas de vermelho. Em coma alcoólico, foram levados para um hospital da cidade e liberados no fim da tarde. A família de um dos calouros registrou boletim de ocorrência.

Por meio de nota, a universidade informou que tem se empenhado em alertar a comunidade universitária sobre a "necessidade da observância à proibição do ato do trote e sobre a responsabilidade de todos na recepção dos calouros". Resolução da instituição de janeiro de 1996 proíbe o trote nas dependências da universidade. A proibição, no entanto, vai além dos muros da UEPG. O veto vale para toda a cidade, pois foi aprovado pela Câmara, também em 2006.

A UEPG também ressaltou que abriu sindicância e punirá os envolvidos, o que pode resultar em suspensão e até expulsão, caso seja comprovada a participação de estudantes veteranos. De acordo com a universidade, já estão sendo rastreadas as imagens que possam ajudar a identificar os possíveis envolvidos no trote.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.