Três grupos disputam a compra da Femsa

Três cervejarias estão interessadas na compra da mexicana Femsa Cerveza, em um negócio estimado em mais de US$ 7,5 bilhões. A britânica SABMiller é considerada a favorita nessa disputa e, de acordo com fontes próximas ao assunto, um acordo de venda pode ser selado em janeiro.

Reuters, LONDRES, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

Outra cervejaria europeia, a holandesa Heineken, também demonstra interesse na Femsa, uma das últimas grandes empresas do setor nos mercados emergentes ainda à venda. Além das duas, a Kirin, maior cervejaria do Japão, tem feito pedidos de detalhes da companhia mexicana, que foi colocada efetivamente à venda no mês passado.

"Há três grupos olhando para a Femsa. SABMiller e Heineken estão em aprofundadas discussões em relação a uma compra, enquanto a Kirin tem demonstrado algum interesse", disse uma fonte próxima da situação.

A cervejaria americana Molson Coors também chegou a avaliar as operações da Femsa, mas acabou se afastando do negócio, em grande parte refletindo a perda que sofreu na compra da cervejaria brasileira Kaiser em 2002, segundo as fontes. A Kaiser foi vendida para a própria Femsa em 2006.

No mês passado, a Femsa informou que estava em negociações com várias partes para explorar oportunidades envolvendo seus negócios na área de cerveja. Além disso, a família controladora da empresa já vinha mantendo discussões com a SABMiller, disseram as fontes.

Após a notícia sobre um possível acordo, as ações da Femsa subiram cerca de 4% na bolsa mexicana, para 59,28 pesos. Todas as empresas preferiram não comentar o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.