Três prédios são implodidos na zona portuária do Rio

Três prédios que compunham o Moinho Marilu, na zona portuária do Rio, foram implodidos na manhã de hoje e darão lugar a um edifício de 20 andares, sendo 18 de escritórios. É o primeiro empreendimento corporativo da revitalização do Porto do Rio e envolve investimentos de R$ 250 milhões, resultado da parceria da empresa carioca STX Desenvolvimento Imobiliário e da multinacional Tishman Speyer.

AE, Agência Estado

26 Junho 2011 | 15h06

Os 250 quilos de explosivos foram acionados pelo prefeito Eduardo Paes, às 6h35. Paes comemorou a implosão como "a marca do primeiro projeto privado que surge em uma área da cidade que ninguém queria nem chegava perto, mas que já começa a ser revitalizada". O novo edifício, a ser construído no terreno de 13 mil metros quadrados, vai se chamar Luiz Paulo Conde, em homenagem ao ex-prefeito do Rio. A obra deverá ficar pronta no fim de 2013. Por causa da implosão, o trânsito no entorno da Rodoviária Novo Rio foi interditado entre 5h e 9h.

Mais conteúdo sobre:
Implosão Rio de Janeiro zona portuária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.