Tribunais especiais julgarão amotinados de Bangladesh--governo

Tribunais especiais de Bangladesh julgarão paramilitares rebeldes que mataram pelo menos 80 pessoas, a maioria membros do Exército, em uma revolta na semana passada, disseram neste domingo autoridades do governo e militares. Mais de 70 pessoas ainda estão desaparecidas após o motim de membros de guardas de fronteira dos Bangladesh Rifles (BDR), que aconteceu na quarta-feira devido a uma disputa sobre salário e comando, afirmaram autoridades. Os corpos dos membros do Exército, e de alguns familiares, foram encontrados em valas comuns dentro do complexo do BDR em Daca, e em canos de esgotos e canais. O motim se espalhou para mais de uma dezena de pequenas cidades em Bangladesh. Testemunhas disseram que cerca de 1.000 soldados do CDR que fugiram de seus respectivos quartéis após o motim de dois dias já retornaram e tinham as suas identidades checadas do lado de fora dos complexos. A polícia afirmou que identificou até 1.000 membros do BDR para investigações sobre o motim, em um processo que pode levar a indiciamentos formais, inclusive por assassinato. O ministro do governo Syed Ashraful Islam afirmou que a decisão de estabelecer os tribunais foi tomada em um encontro de gabinete liderado pela primeira-ministra, xeique Hasina, no sábado. Uma investigação liderada pelo ministro do Interior, Shahara Khatun, foi instruída a divulgar suas primeiras descobertas dentro de uma semana. Autoridades do governo afirmaram que Hasina disse aos ministros do gabinete e ao chefe do Exército, general Moeen U. Ahmed, neste domingo, que todos os envolvidos no motim seriam levados a juízo. Hasina procurou a ajuda do FBI em uma conversa por telefone com o secretário de Estado Assistente dos EUA, Richard Boucher, para investigar o motim, informou o Ministério das Relações Exteriores de Bangladesh. "Puniremos os assassinos e seus mentores após uma investigação apropriada e um julgamento justo", disse Hasina ao Parlamento neste domingo. "Também procuraremos assistência da Scotland Yard (polícia britânica) e cooperação dos Estados Unidos para investigar o motim." O Parlamento condenou unanimemente a revolta.

ANIS AHMED E NIZAM AHMED, REUTERS

01 de março de 2009 | 16h28

Tudo o que sabemos sobre:
TRIBUNAISBANGLADESH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.