Tribunal condena comerciante por matar irmã e padrasto

O Tribunal do Júri de Sorocaba (SP) condenou a 60 anos de prisão o comerciante Yuri André de Souza Milani Barizon, de 22 anos, acusado de ter mandado matar uma irmã e o padrasto, em outubro de 2011. Outros dois envolvidos no crime, Leandro Pires da Costa e Maicon Miranda Milani, receberam penas de 50 anos cada um. O julgamento durou 11 horas e terminou na noite desta quinta-feira, 11.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

12 de julho de 2013 | 17h05

Barizon, Costa e Milani foram acusados ainda de ter tentado matar a mãe e outra irmã do comerciante - elas foram baleadas, mas sobreviveram. Barizon teria tramado a morte dos familiares por causa de uma herança. Com a morte do pai, o comerciante herdaria alguns imóveis, mas a mãe iniciou outro relacionamento. Barizon contratou os outros acusados para matar a família quando todos dormiam numa chácara, em Araçoiaba da Serra.

O plano era simular um assalto. As quatro vítimas receberam 18 tiros, mas as duas mulheres sobreviveram. O próprio comerciante chamou a polícia, mas a farsa do assalto foi descoberta. Barizon é acusado em outro processo de ter matado a avó, uma mulher de 83 anos, dois meses antes. O crime foi praticado na companhia de Milani, e Barizon esperava ficar com a casa da idosa.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciacomercianteSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.