Tribunal no Egito coloca Mursi em julgamento por ligação com Catar

Uma corte egípcia colocou o presidente islamita derrubado Mohamed Mursi em julgamento no domingo sob a acusação de ter colocado em perigo a segurança nacional por vazar segredos de Estado e documentos sensíveis ao Catar, promovendo uma repressão estatal em sua banida Irmandade Muçulmana.

REUTERS

15 Fevereiro 2015 | 09h43

Mursi, que foi derrubado pelo exército em 2013 após protestos em massa contra seu governo, permaneceu firme, insistindo que era o presidente legítimo do Egito apesar de enfrentar vários processos judiciais.

"Este tribunal não representa nada para mim", disse Mursi, que estava em julgamento com 10 outras pessoas. A pena máxima em caso de condenação é a morte.

(Reportagem de Michael Georgy)

Mais conteúdo sobre:
EGITOTRIBUNALMURSI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.