Trio é condenado por morte de psicóloga em São Paulo

Três pessoas foram condenadas hoje a penas de até 25 anos e oito meses de prisão por matar a psicóloga Renata Novaes Pinto, em novembro de 2008, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo. O julgamento no Tribunal de Júri durou mais de quinze horas.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

25 Outubro 2011 | 07h52

De acordo com a denúncia, Claudemir Rossi teria recebido R$ 2 mil em dinheiro para dirigir uma moto até o local do crime, levando na garupa José Nilton Silva, responsável pelos três tiros que executaram Renata. O crime teria ocorrido atendendo a um pedido de José Neudes.

No julgamento, Silva foi considerado culpado pelo crime de homicídio doloso, com efetiva participação de Neudes e Rossi neste crime. A condenação conta ainda com os agravantes de motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima. Os jurados reconheceram, ainda, que os acusados cometeram o delito de formação de quadrilha ou bando armado para a prática de crimes hediondos, e que Neudes possuía em sua residência munição de arma de fogo de uso não permitido.

Silva foi condenado a 25 anos e 8 meses de reclusão; Rossi, a 22 anos e 4 meses de reclusão; Neudes, a 23 anos de reclusão e ao pagamento de 10 dias-multa.

Mais conteúdo sobre:
acusadosmortepsicólogaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.