Tripulação de navio argentino apreendido em Gana volta para casa

Quase 300 tripulantes de um navio de treinamento da Argentina apreendido em Gana por credores que tentam recuperar milhões de dólares perdidos em um calote argentino voltaram para casa nesta quarta-feira após semanas em um limbo portuário.

Reuters

24 de outubro de 2012 | 18h40

O veleiro ARA Libertad foi apreendido no porto ganense de Tema em 2 de outubro graças a uma ordem judicial obtida pela empresa NML Capital, que pleiteia o ressarcimento de 300 milhões de dólares em títulos públicos argentinos envolvidos na moratória.

Os cadetes embarcaram em um voo fretado da Air France na capital ganense Acra com destino a Buenos Aires. O avião decolou com atraso de quatro horas, de acordo com uma testemunha da Reuters.

Um comunicado publicado no site da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, afirmou que os tripulantes devem chegar ao país na noite desta quarta-feira e que voltarão ao treinamento em 5 de novembro após exames médicos.

"Quando eles voltarem do intervalo, eles retomarão o treinamento que permitirá com que alcancem os objetivos necessários para se formar conforme o planejado em 8 de dezembro", segundo o comunicado.

Uma equipe mínima necessária para a manutenção essencial do navio ficou em Gana.

O chanceler argentino, Héctor Timerman, lançou uma ofensiva diplomática em Nova York na segunda-feira, pedindo a autoridades da Organização das Nações Unidas (ONU) que pressionassem Gana a liberar o navio.

(Reportagem de Kwasi Kpodo, e de Hugh Bronstein, em Buenos Aires)

Tudo o que sabemos sobre:
GANAARGENTINANAVIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.