Tripulante de cruzeiro morre em Santos

Garçonete havia sido hospitalizada horas após navio MSC Armonia zarpar do porto, na quarta-feira; outros 5 tripulantes foram internados ontem

SOLANGE SPIGLIATTI, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2012 | 03h03

Tripulante do navio MSC Armonia, a garçonete Fabiana dos Santos Pasquareli, de 30 anos, morreu na noite de anteontem, no Hospital Ana Costa, em Santos. Ela deu entrada no hospital às 14h30 da última quarta-feira com quadro de transtorno respiratório agudo. Exames foram enviados para o laboratório Adolfo Lutz para definir a causa da morte. Cerca de 2 mil passageiros estavam no navio, que fazia um cruzeiro de três dias e atracou ontem cedo em Santos.

Segundo o hospital, outros cinco tripulantes do Armonia foram internados na manhã de ontem com os mesmos sintomas da garçonete - tosse e febre, com diagnóstico inicial de pneumonia. Eles estão no quarto e o quadro de saúde é estável, conforme assegurou o infectologista Evaldo Stanislau. O corpo da garçonete foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbitos, que funciona no Hospital Guilherme Álvaro, em Santos.

O navio, operado pela empresa MSC Cruzeiros, havia zarpado na quarta-feira para um passeio de três noites para Ilhabela (SP) e Ilha Grande, no Rio de Janeiro. Ao passar na costa de Ilhabela, ainda na quarta-feira, a garçonete começou a se sentir mal - ela foi transferida para Santos.

O navio prosseguiu viagem e retornou a Santos às 6h de ontem. Os 2 mil passageiros do Armonia, porém, tiveram de aguardar uma inspeção de fiscais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para desembarcar - o que ocorreu por volta das 12h.

Vacina. Um dos passageiros conversou com Estado de dentro do navio, às 10h50 de ontem. Ele contou que, ao chegar a Santos, todos os passageiros foram avisados de que não poderiam desembarcar e seriam obrigados a tomar a vacina tríplice - contra sarampo, parotidite e rubéola. O passageiro pediu para não ser identificado.

O Hospital Ana Costa emitiu uma nota oficial no qual confirmava que havia admitido os pacientes do navio ancorado em Santos. "Todos apresentavam sintomas respiratórios agudos. Até o momento, não temos nenhum diagnóstico etiológico definido e os espécimes foram encaminhados aos laboratórios oficiais", afirmava o documento.

Em nota, a MSC Cruzeiros afirmou que está prestando toda a assistência aos familiares da garçonete e acompanhando o trabalho das autoridades à espera dos laudos definitivos. Ainda de acordo com a assessoria da MSC Cruzeiros, uma nova leva de turistas deveria embarcar às 15h no navio para outro cruzeiro.

Desde o Natal não se via tanto movimento no Porto de Santos. Nada menos do que seis navios atracaram ontem no cais santista para o embarque de 25 mil passageiros, com destino aos cruzeiros de Carnaval. / COLABOROU ZULEIDE DE BARROS, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.