Troca de acusação em campanha nos EUA pode afastar eleitor jovem

Apesar de seu entusiasmo, oeleitorado jovem que ajudou Barack Obama, pré-candidato doPartido Democrata à eleição presidencial dos EUA, a conquistara liderança da atual corrida pode ficar em casa se a disputatransformar-se em uma mera troca de acusações. Obama conseguiu impressionar os eleitores com menos de 30anos, a fatia dos votantes que historicamente sempre compareceumenos às urnas que seus pais. Os jovens eleitores lotaram oscomícios eletrizantes do senador de Illinois e votaram emnúmeros quatro vezes maiores do que nos pleitos realizados emanos anteriores. "Isso o ajudou realmente, o fato de vê-lo falar e de estarali", disse Chelsea Barham, 19, que compareceu a um comício deObama na Universidade de Maryland e votou no pré-candidato nasprévias realizadas recentemente nesse Estado. De outro lado, a pré-candidata democrata Hillary Clinton,que disputa a vaga do partido com Obama, não compareceu aocampus onde estudam 34 mil alunos. "Nós todos nos sentimos um pouco jogados para escanteio",afirmou Casey Mason-Foley, 19, que estuda ali e que ésimpatizante da senadora de Nova York. Os eleitores jovens sentiram-se atraídos pela campanha deObama devido a sua mensagem idealista e devido à força de suaorganização de base, afirmou Peter Levine, do Centro para aInformação e Pesquisa em Educação e Engajamento Cívicos, queestuda o voto dos mais novos. Mas uma campanha negativa pode sufocar, ainda no berço,essa tendência, observou Levine e outros pesquisadores. "Uma luta suja entre os grandes partidos poderia serprejudicial", afirmou Levine. "O comparecimento às urnas serámaior se a disputa se der em um ambiente positivo." Os rivais de Obama já preparam suas armas. John McCain, oprovável candidato do Partido Republicano nas eleições denovembro, criticou na quinta-feira o pré-candidato democrata,afirmando que seus apelos por mudança são "eloquentes masvazios". Simultaneamente, Hillary intensifica seus ataques tentandorecuperar-se na disputa travada dentro do Partido Democrata. A senadora, segundo se prevê, não pode sofrer novasderrotas nas próximas prévias, que acontecem nos Estados doTexas e de Ohio no dia 4 de março, caso deseje continuar nacorrida. O Instituto de Política da Universidade Harvard descobriuque muitos eleitores jovens afastaram-se da política devido àtroca de acusações entre candidatos. Estudantes da Universidade de Maryland repetiram essaopinião enquanto aguardavam para votar, na semana passada. "Acho que há muita lavagem de roupa suja na política. Eutendo a evitar isso", afirmou Ilana Kelsey, 18, enquantoesperava sua vez de votar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.