'Tropa de elite' inspira brincadeira de tortura na web

Menos de uma semana após a estréia nos cinemas do Rio e de São Paulo, "Tropa de Elite" virou inspiração para os jovens. Circulam no You Tube, o site de vídeos da internet, imagens de adolescentes simulando cenas de tortura e espancamento que estão no filme de José Padilha sobre o Bope. Nos vídeos, eles "brincam" de torturar usando o saco plástico, como faz o Capitão Nascimento (Wagner Moura) no longa para conseguir informações sobre traficantes. Antenor Júnior, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática do Rio, vai investigar os vídeos, todos caseiros e com imagens de baixa qualidade. "Se entendermos que eles fazem apologia ao crime, vamos pedir ao provedor que tire todos do ar e vamos tentar localizar os autores", disse. Para o delegado, o sucesso de "Tropa de Elite" entre os jovens, sobretudo no Rio, é reflexo do cotidiano. "O filme mostra uma situação que a cidade está vivendo. O personagem Jack Bauer (do seriado americano "24 horas") faz muito pior do que o Capitão Nascimento e nenhum adolescente brasileiro saiu imitando. ''Tropa de Elite'' é uma obra de ficção. Não tem culpa se inspira este tipo de coisa", disse. A psicanalista Lulli Milman não tira a responsabilidade do filme nestas atitudes dos jovens. "Ele mostra o Bope como salvador desta situação de violência, aparentemente sem saída, que a gente vive. Só que o herói do filme defende o uso da violência para combater a violência", analisou. Desde que o filme passou a circular pela cidade em cópias piratas, Lulli ouviu no seu consultório vários relatos de jovens impressionados com o Bope e encantados com o Capitão Nascimento. "Como o mocinho da história tem este tipo de atitude, por que não achar que isso é o melhor? O filme libera uma coisa horrível, sádica que todo o ser humano carrega dentro de si. O jovem tem essa agressividade menos controlada. Se o grande honesto no filme faz aquilo, o adolescente se identifica imediatamente. É lamentável."

MÁRCIA VIEIRA, Agencia Estado

09 de outubro de 2007 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.