Tropas americanas chegam à Lituânia em meio à tensão na Ucrânia

Os Estados Unidos posicionaram 150 soldados paraquedistas na Lituânia neste sábado, como parte dos esforços de Washington para assegurar seus aliados da Europa Oriental preocupados com os acontecimentos na Ucrânia que a OTAN vai oferecer proteção se eles enfrentarem uma agressão russa.

Reuters

26 Abril 2014 | 11h18

Um total de 600 soldados norte-americanos serão enviados para a Polônia e países bálticos da Estônia, Letônia e Lituânia para exercícios de infantaria. Eles devem permanecer na região em sistema de rodízio até o final do ano.

"Na hora que as ameaças surgem, podemos ver quem são nossos reais amigos", disse a presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, quando cumprimentava os soldados na base aérea de Siauliai. "Os países bálticos e a Polônia estão na fronteira da OTAN, portanto, mais medidas de segurança são necessárias com urgência. Esse acréscimo de tropas americanas é muito oportuno e muito necessário", ela disse.

Sem mencionar a Rússia, a presidente da Lituânia afirmou que a presença de tropas dos EUA vai "repelir aqueles que ameaçam a estabilidade na Europa e a paz na região", já que uma invasão à Lituânia envolveria os norte-americanos.

Além dos paraquedistas dos EUA, a OTAN disse que vai triplicar o seu número habitual de caças patrulhando o Báltico no mês que vem para melhorar suas defesas na Europa Oriental.

(Por Andrius Sytas)

Mais conteúdo sobre:
LITUANIATENSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.