Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tropas marfinenses matam 4; líderes africanos chegam ao país

Tropas marfinenses mataram nesta segunda-feira pelo menos quatro manifestantes da oposição que pediam a renúncia do presidente Laurent Gbagbo. A repressão ocorreu enquanto presidentes africanos chegavam à Costa do Marfim para nova tentativa de resolver a crise política.

LAURENT PRIEUR E ANGE ABOA, REUTERS

21 de fevereiro de 2011 | 13h02

O conflito sobre a eleição de novembro paralisou a econômica do país, o maior produtor mundial de cacau, e causou a morte de cerca de 300 pessoas. A eleição, cujo objetivo era trazer estabilidade após uma década de estagnação, acabou agravando as divisões internas e a situação da economia.

O oposicionista Alassane Ouattara é reconhecido internacionalmente como o vencedor da eleição presidencial, mas Gbagbo se recusa a ceder o poder.

Uma fonte com acesso às conversações preparatórias, realizadas no domingo, disse que a delegação africana iria insistir em que Gbagbo deixe o poder em troca de algumas garantias, o que permitiria a Ouattara assumir o poder. Ele venceu a eleição de 28 de novembro, de acordo com os resultados endossados pela ONU.

Chegaram ao país os líderes da África do Sul, Mauritânia, Chad e Tanzânia.

Por Laurent Prieur e Ange Aboa

Tudo o que sabemos sobre:
COSTADOMARFIMMORTOSPROTESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.