Tropas neozelandesas sofreram danos genéticos no Vietnã

Tropas da Nova Zelândia expostas ao desfolhador Agente Laranja na Guerra do Vietnã sofreram dano genético significativo, de acordo com um estudo feito por cientistas moleculares e divulgado nesta sexta-feira. As forças americanas usaram o Agente Laranja para acabar com a folhagem das florestas, tornando mais difícil para os combatentes comunistas se esconderem durante a guerra. Os químicos foram apontados como responsáveis por uma série de doenças, defeitos de nascença e outros problemas de saúde entre os cidadãos e tropas vietnamitas que lutaram lá. O estudo investigou o índice de "permuta de cromátides irmãs" nas células dos veteranos - teste que analisa a maneira como os cromossomos se auto-duplicam.Um nível comparativamente maior de permuta de cromátides irmãs identificado no estudo indicou o dano genético, de acordo com o pesquisador da Universidade Massey Al Rowland, mas ele disse que estudos mais extensos são necessários.O estudo de 25 veteranos foi comparado a um grupo de controle de antigos soldados que não serviram no Vietnã.Rowland disse que o impacto do consumo do cigarro e do álcool e o uso de raios-x médicos foram levados em consideração."Nós não sabemos o que causa os resultados que vimos, mas tudo que sabemos é que esse grupo foi ao Vietnã e algo aconteceu", disse ele. Os veteranos do Vietnã argumentaram por 30 anos que o Agente Laranja teve um impacto genético neles e em seus filhos, causando uma variedade de distúrbios.Sucessivos governos da Nova Zelândia afirmaram que não havia provas de que os veteranos foram expostos ao spray químico, ou prejudicados por ele. Mas em 2004, um comitê parlamentar selecionado confirmou que o Agente Laranja foi pulverizado nas tropas neozelandesas no Vietnã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.