TSE suspende propagandas e tira tempo da campanha de Aécio e Dilma

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tomou decisões nesta segunda-feira que tiram tempo da propaganda no rádio e na TV dos presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), além de suspender peças publicitárias das duas campanha.

REUTERS

20 de outubro de 2014 | 20h41

Em uma das decisões, o ministro Admar Gonzaga decidiu tirar 2 minutos e 30 segundos da propaganda tucana e determinou a suspensão de uma propaganda que afirma que Dilma teria prevaricado em relação às denúncias de corrupção na Petrobras.

Gonzaga também determinou, em outra decisão, a retirada de 36 segundos da propaganda de Dilma e de uma peça que parodia a música "Oh, Minas Gerais" para afirmar que quem conhece o tucano, não vota nele.

O mesmo ministro também tirou 4 minutos do tempo de TV da petista e determinou a suspensão de uma outra peça que acusa Aécio de desrespeitar as mulheres.

Na véspera, outro ministro da corte eleitoral, Tarcísio Vieira determinou a suspensão de duas propagandas da campanha tucana. Uma que mostra manchetes de jornal sobre as denúncias na Petrobras e a prisão de petistas condenados no processo do mensalão, e uma outra que cita o depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

(Por Eduardo Simões)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014TSEDECISOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.