Tucano que coordenou área jurídica da campanha de Aécio pede auditoria de eleição

O deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), que coordenou a área jurídica da campanha derrotada de Aécio Neves à Presidência, pediu nesta quinta-feira ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) auditoria das eleições presidenciais de domingo.

REUTERS

30 de outubro de 2014 | 21h26

Sampaio disse que tomou a decisão depois de pensar muito e negou que a medida fosse uma contestação ao resultado da eleição, em que a presidente Dilma Rousseff foi reeleita pela margem mais estreita desde a redemocratização, cerca de 3,5 milhões de votos.

O parlamentar disse que seu pedido visa afastar os rumores que, segundo ele, têm crescido nas redes sociais de que teria havido fraude na eleição.

"Amigos, pensei muito e achei que era meu dever entrar com uma ação no TSE pedindo uma auditoria no sistema de votação, apuração e contagem dos votos desta última eleição. Foi o que fiz agora no final da tarde", escreveu Sampaio em sua conta no Facebook.

"Esclareço que minha ação nada tem a ver com pedido de recontagem ou questionamento do resultado! É, repito, um pedido de auditoria no sistema, com o acompanhamento do TSE e de técnicos indicados pelos partidos, para evitar que esse sentimento de que houve fraude continue a ser alimentado nas redes sociais, sem que alguém tome uma atitude para esclarecer os fatos."

Aécio e Dilma protagonizaram uma das mais agressivas campanhas eleitorais da história, com uma enxurrada de ações na Justiça Eleitoral de lado a lado, e que culminou no mais apertado resultado desde a redemocratização.

Foi a quarta derrota seguida de um candidato do PSDB para um presidenciável do PT.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Mais conteúdo sobre:
POLITICAPSDBAUDITORIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.