Tufão Krosa causa prejuízo de R$ 1 bi na China

Krosa fez transbordar rios e afetou cinco milhões de pessoas no país.

Marina Wentzel, BBC

08 de outubro de 2007 | 12h25

A passagem do tufão Krosa pela China provocou neste fim de semana um prejuízo de mais de 4,58 bilhões de yuan (cerca de R$ 1 bilhão) nas Províncias de Zhejiang e Fujian, no leste do país, informou nesta segunda-feira a imprensa estatal chinesa.Mais de cinco milhões de pessoas teriam sido afetadas pela tempestade, que provocou o acúmulo de 127 milímetros de chuva e fez transbordar rios.Em algumas cidades, bairros inteiros ficaram inundados.Segundo a agência de notícias Xinhua, a força das águas e do vento derrubou 1.651 casas, mas não houve vítimas fatais. A Xinhua informou também que 27 marinheiros tiveram de ser resgatados quando o navio cargueiro onde estavam sofreu uma pane mecânica próximo à costa.Antes da passagem do tufão, as autoridades chinesas deixaram a população em alerta e mais de um milhão foram evacuados da populosa região sudeste do país. O governo fechou escolas e interrompeu os sistemas de transporte aéreo, marítimo e terrestre em locais como a cidade portuária de Wenzhou.Autoridades chamaram cerca de 75 mil barcos de pesca de volta aos portos e equipes de emergência tiveram de fazer plantão.Agora o Krosa segue para leste e perdeu força, sendo rebaixado de tufão para tempestade tropical.Mesmo assim, em Xangai, onde estão sendo realizados os Jogos Olímpicos Especiais (para pessoas com deficiências mentais), todos os funcionários da área de prevenção de enchentes estão a postos para o caso de a tempestade atingir a cidade.O Krosa foi o 16° tufão a assolar a China neste ano, de acordo com a imprensa oficial.Antes de chegar ao país, o tufão causou destruição e mortes no norte da ilha de Taiwan com ventos acima dos 185 km/h e chuva torrencial.Pelo menos cinco pessoas morreram e mais de 52 ficaram feridas na ilha.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.