Tumba etrusca de 2.000 anos é encontrada intacta

Uma das primeiras e mais misteriosas civilizações da Itália, os etruscos viveram ao norte de Roma

REUTERS,

13 de agosto de 2007 | 16h41

Arqueólogos descobriram uma tumba etruscacom mais de 2.000 anos perfeitamente preservada nas colinas daToscana. Dentro há um tesouro formado por artefatos e por urnasque guardam os restos de cerca de 30 pessoas. A tumba, na cidade toscana de Civitella Paganico,provavelmente data de entre os séculos 1 e 3 a.C., época em queo poder etrusco estava em declínio, disse à Reuters AndreaMarcocci, que comandou as escavações no local. "É bastante raro encontrar uma tumba intacta desse jeito",disse Marcocci, que suspeitou da existência da tumba no localdepois que obras numa estrada próxima espalharam pedaços dosartefatos. "Quando achamos fragmentos do lado de fora, pensamos queencontraríamos a tumba violada. Mas o espaço principal desepultamentos estava completamente intacto." Dentro da tumba, um estreito corredor leva a uma pequenacâmara de sepultamento, com cerca de 2 metros de comprimento e1m79 de largura, segundo o arqueólogo. Também foram achadasurnas contendo restos humanos. "É bastante excepcional encontrar tantos objetos numa tumbatão pequena", disse Marcocci. "Alguns dos vasos (urnas) erambastante pequenos, então achamos que provavelmente eram decrianças." Uma das primeiras e mais misteriosas civilizações daItália, os etruscos viveram ao norte de Roma, nas atuaisToscana e Umbria. Sua civilização durou pelo menos mil anos,atingindo seu auge aproximadamente entre os séculos 6 e 7 a.C.,até que suas cidades fossem substituídas por assentamentosromanos. Grande parte do que se sabe sobre os etruscos hoje derivade outros suntuosos jazigos, decorados com pinturas e repletoscom vasos e outros objetos.

Tudo o que sabemos sobre:
etruscosarqueologiatumbaitália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.