'Tume dá segurança quanto à espécie ideal'

É o que garante o agricultor de Lins, que já escolheu, a partir do teste, o eucalipto mais adequado à sua região

Tânia Rabello, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2008 | 01h59

A propriedade do agrônomo e produtor rural José Luiz Almeida, em Guaiçara, região de Lins (SP), tem como atividade principal a produção de flores, em 2 hectares de estufas. Há uma década, Almeida decidiu diversificar a atividade econômica do sítio. ''Como o negócio principal é flor, eu não queria uma segunda atividade que me tomasse tanto tempo'', explica. ''Não poderia, por exemplo, pensar em fruticultura. A partir daí começamos a analisar o eucalipto.''Almeida decidiu instalar o primeiro Tume na propriedade há nove anos. ''Hoje, temos 5 Tumes, em 5 hectares. O Tume mais novo tem um ano'', diz ele, acrescentando que ao longo desse período já pôde concluir que a principal espécie de eucalipto plantada na região, o Eucalyptus camaldulensis, perde em produção de madeira para outras duas espécies em teste no Tume: o E. urophylla e o E. urograndis. ''Com esses dados do Tume instalamos nosso plantio comercial, de 15 hectares, 90% com essas duas espécies'', diz. ''O principal auxílio do Tume, para nós, é a segurança que ele dá na espécie a ser escolhida.''ENERGIA E MADEIRAA vocação da região, segundo Almeida, é para produção de energia - ''Há muitas olarias e frigoríficos que precisam de madeira'' - e serraria, ''pois temos grande produção de vigas, caibros e até pallets, que é o objetivo principal do meu cultivo'', diz Almeida.''Com 50% do que você retira da sua lavoura, ou seja, o primeiro desbaste, que tira metade das árvores para que as outras se desenvolvam melhor, já se recupera o capital investido'', garante. ''Dali para frente, o custo de manutenção do eucalipto é muito baixo, mas é importante manter atenção constante com as formigas, que podem pôr a perder 100% do investimento'', alerta.Outra vantagem, segundo Almeida, é a possibilidade de produtores interessados da região coletarem os dados de seu Tume para optarem pela espécie mais adequada. ''Na região de Lins já não é necessário mais nenhum Tume; os interessados podem visitar os meus Tumes ou obter todos os dados via internet, no site www.tume.esalq.usp.br.'' INFORMAÇÕES: No site www.tume.esalq.usp.br

Mais conteúdo sobre:
tumeeucalipto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.