Tunísia e Líbia adiam reconhecimento da oposição síria

A Tunísia e a Líbia vão adiar o reconhecimento de um novo órgão da oposição síria até conhecerem a sua composição, disse na quinta-feira o presidente tunisiano, Moncef Marzouki.

Reuters

22 de novembro de 2012 | 17h07

A Coalizão Nacional Síria para a Oposição e as Forças Revolucionárias foi estabelecida em 11 de novembro, sob pressão árabe e ocidental, para unir vozes diversas da oposição.

Grã-Bretanha, França, Turquia e países árabes do golfo Pérsico já reconheceram a coalizão como única representante do povo sírio. Os Estados Unidos prometem trabalhar com a coalizão, mas não chegaram a reconhecê-la plenamente.

"Nós e a Líbia estamos de acordo em esperar antes de reconhecer. Precisamos ter uma ideia real sobre qual é a representação desse órgão", disse Marzouki numa entrevista coletiva durante visita do líder líbio Mohammed Magarief.

Separadamente, Marzouki anunciou que visitará a Faixa de Gaza para inaugurar uma escola financiada pela Tunísia. "Congratulo Ismail Haniyeh pela vitória em Gaza", disse ele, referindo-se ao cessar-fogo com Israel em vigor desde quarta-feira.

(Reportagem de Tarek Amara)

Tudo o que sabemos sobre:
TUNISIALIBIASIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.