Tunísia liberta ex-premiê líbio, diz advogado

Um tribunal tunisiano libertou o ex-primeiro-ministro líbio Al-Baghdadi Ali al-Mahmoudi, apesar de um pedido de extradição das autoridades líbias, disse seu advogado nesta quinta-feira.

REUTERS

27 Outubro 2011 | 09h38

"A corte determinou que ele seja libertado da prisão", disse Mabrouk Korchid à Reuters. Confirmando as informações, uma fonte jurídica disse que al-Mahmoudi agora é um homem livre.

Mahmoudi fugiu da Líbia para a vizinha Tunísia logo depois da queda do governo de Muammar Gaddafi, em agosto, e iniciou uma greve de fome em protesto à sua possível extradição.

Em uma entrevista neste mês à Reuters, intermediada por seu advogado, Mahmoudi disse que não esteve envolvido na repressão durante os 42 anos de governo de Gaddafi e que queria cooperar com o governo interino da Líbia.

Al-Mahmoudi, primeiro-ministro líbio desde 2006, era o membro de mais alto cargo do governo de Gaddafi preso. Durante a guerra civil deste ano, ele se pronunciou em comunicados televisionados defendendo Gaddafi e acusando a Otan de matar civis deliberadamente.

Korchid argumentou durante o julgamento que a vida de Mahmoudi estaria em perigo se a Tunísia o enviasse de volta à Líbia.

Gaddafi e seu filho Mo'tassim morreram na semana passada depois de caírem nas mãos de combatentes do governo de transição, incitando grupos de direitos humanos a levantar questões sobre justiça na Líbia.

O tribunal ordenou a libertação de Mahmoudi em setembro, depois que ele foi preso pela entrada ilegal no país. Mas ele permaneceu detido por conta de um pedido das autoridades pós-Gaddafi.

(Reportagem de Tarek Amara)

Mais conteúdo sobre:
TUNISIA EXPREMIE LIBIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.