Turistas enfrentam trânsito em estradas em SP

A implantação de cones para sinalizar a Rodovia dos Tamoios para a "operação descida" provocou nesta quinta-feira congestionamento de 25 quilômetros na altura de Paraibuna, que fica entre São José dos Campos e Caraguatatuba, em São Paulo, segundo a Polícia Rodoviária Estadual. A via é a principal ligação entre o Vale do Paraíba e o litoral norte, destino de milhares de turistas no feriado de Páscoa.

REGINALDO PUPO, RICARDO BRANDT E JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

28 de março de 2013 | 18h50

Com o trânsito totalmente parado, motoristas chegaram a sair dos veículos para esperar a fluidez retornar. Para complicar, o trecho de planalto está em obras de duplicação e os motoristas precisam trafegar lentamente devido ao intenso tráfego de caminhões, cones e acostamentos interditados. Segundo motoristas, o trânsito começou a complicar já às 8 horas desta quinta.

"Achei que evitaria o trânsito intenso descendo cedo para o litoral, mas parece que todo mundo pensou a mesma coisa", disse o engenheiro Rodrigo Santos Ferreira, 39, que chegou a Caraguatatuba por volta das 17 horas desta quinta, após ter saído da capital às 13 horas. As rodovias Oswaldo Cruz, que liga Taubaté a Ubatuba; e a Mogi-Bertioga são alternativas para quem deseja ir para o litoral norte. Nessas rodovias, o fluxo seguia nesta quinta sem pontos de lentidão.

Ao menos 200 mil veículos devem cruzar as rodovias que cortam o Vale do Paraíba com destino ao litoral norte, Aparecida e Campos do Jordão. Ao menos 30 mil carros são esperados em Ilhabela, segundo a Dersa. A Polícia Rodoviária afirma que o movimento deverá ser intenso entre as 6 horas e 14 horas de sexta-feira.

No Sistema Anchieta-Imigrantes, o tráfego era intenso, mas com fluxo contínuo no final da tarde. A descida da serra estava sendo feita pelas pistas sul da Anchieta e sul da Imigrantes, no esquema 5x5.

Já em direção ao interior, quem decidiu enfrentar a estrada passou por um teste de paciência. No final da tarde desta quinta foram registrados 47 quilômetros de lentidão em seis pontos nas rodovias Anhanguera e Bandeirantes, por causa do movimento intenso e de obras, principalmente no sentido interior. A previsão é que 1,3 milhão de veículos cortem as rodovias da região de Campinas até domingo (31).

A rodovia Castelo Branco tinha nove quilômetros de congestionamento às 18 horas, entre o Cebolão, na capital, e o km 25, em Barueri. A rodovia Raposo Tavares tinha trânsito lento em razão do excesso de veículos entre São Paulo e Cotia, e no trecho em obras de duplicação, entre Araçoiaba da Serra e Itapetininga, na região de Sorocaba.

Rio

No trecho paulista da Via Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, o motorista enfrentava 15 quilômetros de congestionamentos no final da tarde desta quinta. O trânsito travado pelo excesso de veículos começava na saída de São Paulo, do km 227 ao 223, principalmente na pista marginal da rodovia. Em São José dos Campos, às 17 horas, a fila de carros parados se estendia por seis quilômetros, a partir do km 149. O trânsito, engrossado pelos fiéis que seguiam para o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, voltava a travar no km 142 e seguia quase parando por três quilômetros. No trecho, a rodovia recebe também tráfego urbano. Já no km 126, entre São José dos Campos e Taubaté, o congestionamento de três quilômetros devia-se a obras na pista.

Sul

Quem seguiu para o Sul pela rodovia Régis Bittencourt, que liga São Paulo a Curitiba, no final da tarde, enfrentou 15 quilômetros de congestionamento entre a capital e a cidade de Registro, no Vale do Ribeira. O trânsito chegava a parar no início da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu, do km 338 ao 350. Parte da serra tem pista simples. A Polícia Rodoviária Federal liberou o uso do acostamento entre o km 344 e o km 349, e instalou uma faixa reversível na pista contrária entre o 349 e o 351, na tentativa de dar vazão ao excesso de veículos. O trânsito parava também do km 439 ao 442 em consequência da interdição de metade da pista para obras de reparo na ponte sobre o rio Ribeira de Iguape.

Mortes

Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas na colisão entre um carro e um ônibus nesta quinta-feira, na rodovia Francisco Alves Negrão (SP-258), que liga São Paulo ao Paraná, no sudoeste paulista. O automóvel teria invadido a pista contrária e bateu de frente no ônibus. O motorista de 62 anos morreu na hora e sua mulher, após ser levada para um hospital de Itapeva. Quatro passageiros do ônibus tiveram ferimentos leves. A pista ficou parcialmente interditada durante quatro horas.

Tudo o que sabemos sobre:
feriadoestradas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.