TV estatal de Burkina Fasso sai do ar após tiroteio

Um tiroteio ocorreu neste domingo nos escritórios da emissora estatal de Burkina Fasso, a RTB Television, e as transmissões foram interrompidas, disseram testemunhas à Reuters, em meio a disputas pelo poder após a saída do presidente Blaise Compaore.

REUTERS

02 Novembro 2014 | 13h33

Compaore, que estava havia 27 anos no poder, deixou o cargo abruptamente na sexta-feira após dois dias de protestos em massa contrários à sua intenção de mudar a constituição para prorrogar seu governo.

O tenente-coronel Isaac Zida foi então indicado como líder de transição.

O tiroteio começou logo depois da chegada de Saran Sereme, líder do partido de oposição PDC, e de cerca de 100 apoiadores que gritavam "Saran presidente".

Um general do exército também estava presente no estúdio, ao lado de seus apoiadores, e testemunhas disseram que ele planejava fazer um discurso na televisão antes de as transmissões saírem do ar.

Os tiros foram lançados ao ar e não há informações sobre feridos até o momento.

Milhares de manifestantes foram dispersos do centro da capital --local de violentos protestos contra Compaore no início da semana-- e guardas presidenciais fazem guarda na região, disse uma segunda testemunha à Reuters.

(Por Nadoun Coulibaly e Joe Penney)

Mais conteúdo sobre:
BURKINAFASSO CONFLITO TV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.