UDR processará bispo por apoiar ocupação no Pontal-SP

A União Democrática Ruralista (UDR) vai protocolar no Ministério Público Estadual (MPE) uma representação contra o bispo da cidade paulista de Presidente Prudente, d. José Maria Libório Saracho, por ter manifestado publicamente apoio às ocupações de terras no Pontal do Paranapanema, região que lidera os conflitos fundiários no Estado. Este mês ocorreram 19 invasões na região, no chamado "Carnaval Vermelho", deflagrado pelo líder dissidente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), José Rainha Júnior.D. José Maria, que representa a Comissão Pastoral da Terra (CPT) da Igreja no Estado, disse que apóia as ocupações por ser um "instrumento de luta" dos sem-terra. De acordo com o presidente da UDR, Luiz Antonio Nabhan Garcia, a atitude do bispo caracteriza "apologia ao crime" e constitui um incentivo ao vandalismo. Para ele, ocupação é crime e quem a pratica está fora da lei. "Ele está apoiando os fora da lei", afirmou. Segundo Nabhan, as representações criminais e cíveis serão extensivas aos líderes sem-terra. O bispo não comentou a intenção de Nabhan. Ele explicou que sua posição é pessoal e disse não desconhecer que as ocupações são ilegais. "Sei que é ilegal, mas eles (sem-terra) usam como único recurso e estou do lado deles." Hoje, as fazendas Santa Maria, Santo Antonio e Nova Lagoinha, em Presidente Epitácio, que tinham sido tomadas no final de semana, foram desocupadas, depois que a Justiça local deu liminar de reintegração de posse em favor dos proprietários.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2008 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.