UE chega a acordo para novas sanções contra autoridades sírias

Os governos da União Europeia chegaram a um acordo preliminar nesta segunda-feira para ampliar as sanções contra a Síria a um número maior de autoridades relacionadas com a violenta repressão a dissidentes, disse um alto funcionário da UE.

REUTERS

14 de novembro de 2011 | 07h21

O acordo foi formulado por embaixadores dos 27 países do bloco europeu e deve ser confirmado mais tarde nesta segunda-feira em uma reunião dos chanceleres da UE em Bruxelas, a qual também irá endossar uma decisão já adotada de interromper o acesso da Síria aos recursos do Banco Europeu de Investimento, afirmou a fonte.

Os líderes europeus advertiram a Síria, no mês passado, de que poderia ser submetida a mais sanções se não fosse estancada a violência, que já deixou mais de 3.500 mortos, segundo a ONU.

As sanções da UE afetam atualmente 56 pessoas e 19 empresas e entidades.

A UE endureceu a pressão contra o país em outubro, ao incluir o Banco Comercial da Síria em uma lista de entidades sob sanção. Em setembro o bloco impôs um embargo às importações de petróleo sírio e proibiu empresas da UE de realizar novos investimentos na indústria petrolífera local. Também impôs sanções à principal empresa do setor de celulares da Síria, a Syriatel, e à maior empresa privada nacional, a Cham Holding.

(Reportagem de Justyna Pawlak)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAUESANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.