UE impõe multa recorde de R$ 2 bi à Microsoft

Empresa é multada por desafiar sanções impostas por abusar de posição dominante.

Márcia Bizzotto, BBC

27 Fevereiro 2008 | 11h35

A Comissão Européia (órgão Executivo da União Européia) impôs nesta quarta-feira uma multa de 899 milhões de euros (R$2,26 bilhões) à Microsoft, o maior valor já cobrado pelo bloco a uma única empresa, por não cumprir uma sentença anterior que a condenou, em 2006, por abuso de posição dominante no mercado da informática.O caso remonta a março de 2004, quando o órgão executivo europeu concluiu que o gigante da informática impedia a livre concorrência no setor ao não fornecer informações técnicas essenciais para que outras companhias pudessem desenvolver programas de computador compatíveis com os seus.Na ocasião, a CE condenou a Microsoft a pagar uma multa de 497 milhões de euros (R$1,2 bilhão) e exigiu que a empresa disponibilizasse informações sobre seus produtos aos concorrentes por preços "razoáveis", o que não aconteceu na época. Em julho de 2006, Bruxelas impôs uma nova multa à empresa, no valor de 280,5 milhões de euros (R$705 milhões). A multa anunciada agora corresponde a sanções diárias entre 21 de junho de 2006 e 21 de outubro de 2007, quando a empresa começou a cumprir a determinação européia."Nos parece uma sanção proporcional e necessária", disse a comissária européia para Competição, Neelie Kroes."A Microsoft seguiu freando a inovação e, indiretamente, isso é algo que teve conseqüências ruins para milhões de empresas em todo o mundo".Novas investigaçõesSomadas todas as sanções, Microsoft já foi condenada a pagar um total de quase 1,7 bilhão de euros (R$4,2 bilhões) ao Executivo europeu.Em um comunicado, a companhia reclamou que a última multa se refere a "um caso passado, que está resolvido".Na semana passada, Microsoft anunciou que informações sobre a tecnologia empregada em alguns de seus programas, como o Windows, serão abertas a seus concorrentes.No entanto, a empresa ainda enfrenta duas novas investigações por abuso de posição no mercado, iniciadas pela CE em janeiro passado.A empresa de informática é acusada de dificultar a compatibilidade do programa Office e de incluir ilegalmente o buscador Explorer como parte do sistema operativo Windows.A União Européia ainda não tem previsão de quando essas investigações serão concluídas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
multaunião européiamicrosoft

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.